Música do Dia

A música do dia de hoje é do último album da cantora Ke$ha, e chama-se “Last Goodbye”.

Para quem não sabe, Ke$ha tem uma série sobre a vida dela a passar na MTV, a “My Crazy Beautiful Life”. Foi a ver essa série que vi pela primeira vez o lado humano desta cantora! Ela era ainda tão apaixonada pelo ex-namorado, que chorava todas as vezes que cantava a música que escreveu para ele, “The Harold Song”, nos seus concertos. No final da primeira temporada, ela encontrou-se com ele e percebeu que afinal demasiada coisa tinha mudado e cada um tinha a sua vida agora. E foi aí que apareceu “Last Goodbye”, a primeira música escrita do seu segundo álbum, “Warrior”.

Eu lembro-me da noite em que nos conhecemos
Éramos tão novos, não consigo esquecer
Como beijaste a minha cara
E me levaste a casa

Lembro-me da vida anos atrás
O colchão de ar no chão
Isso foi antes
Da Vida ter tomado o controlo

Oh, como perdemos a nossa cabeça
Quando nos apaixonámos naquela noite
Nunca pensei que eu
Iria sair do teu lado
Oh, como perdemos a nossa cabeça
Quando nos apaixonámos naquela noite
Promete-me que não vais chorar
Este é o nosso último adeus

Quando estava perdida, encontrei-te
Quando não tinha dinheiro, compraste-me sapatos
Foste o meu primeiro,
E caramba, isto magoa

Agora tens uma miúda, alguém novo
E eu não posso fingir estar bem com isso
Não posso ser tua amiga
Então este é o fim

Oh, como perdemos a nossa cabeça
Quando nos apaixonámos naquela noite
Nunca pensei que eu
Iria sair do teu lado
Oh, como perdemos a nossa cabeça
Quando nos apaixonámos naquela noite
Promete-me que não vais chorar
Este é o nosso último adeus

Promete-me que não vais chorar
Este é o nosso último adeus

(nah nah nah nah nah nah nah) x2

Promete-me que não vais chorar
Este é o nosso último adeus
O nosso último adeus

Oh, como perdemos a nossa cabeça
Quando nos apaixonámos naquela noite
Nunca pensei que eu
Iria sair do teu lado
Oh, como perdemos a nossa cabeça
Quando nos apaixonámos naquela noite
Promete-me que não vais chorar
Este é o nosso último adeus

(Nah nah nah nah nah nah nah) x2

Promete-me que não vais chorar
Este é o nosso último adeus
O nosso último adeus

Anúncios

As minhas séries: Devious Maids

Eram super fãs de “Donas de Casa Desesperadas”? Adoravam as aventuras de Gaby, Bree, Linette e Susan? Ficaram destroçadas quando a série terminou? Pois o criador, Marc Cherry, criou o novo grupo de desesperadas: mas agora, elas são empregadas domésticas!

30826

A série segue as vidas de cinco empregadas domésticas hispânicas de Beverly Hills enquanto elas navegam através das vidas complicadas dos seus empregadores ricos e snobes. Rosie (Dania Ramirez), é uma mãe solteira que deixou o seu filho no México quando o seu marido morreu, e trabalha como empregada/ama para um par de atores de sucesso egocêntricos, Peri e Spence. A aspirante a cantora Carmen (Roselyn Sanchez) espera que um dia o seu patrão, a estrela pop Alejandro, a ajude a começar a sua carreira, mas Odessa, a governanta Russa extremamente leal e sem humor, não hesitará em colocar-se no caminho dos seus sonhos. Zoila (Judy Reyes) é a governanta na casa de Genevieve, uma mulher rica e dependente, viciada em comprimidos, e emocionalmente instável. Ela trabalho lado a lado com a sua filha adolescente, Valentina (Edy Ganem), que tem uma paixoneta pelo filho de Genevieve, Remi. A recém chegada Marisol (Ana Ortiz), cuja aparência, conhecimento e falta de sotaque espanhol não encaixa na descrição das quatro outras empregadas, é contratada para limpar a casa de Taylor, uma insegura segunda mulher de um homem rico, Michael, cuja ex-mulher o persegue. As empregadas apoiam-se umas às outras quando uma das suas amigas e também empregada, Flora (Paula Garcés), é brutalmente assassinada na casa dos seus patrões, os fúteis e misteriosos Evelyn e Adrian Powell, num dos maiores eventos do ano da sociedade, momentos após ter sido acusada de ter um affair com Adrian. Um jovem empregado é encontrado com a arma do crime e é preso. Mas Flora foi na verdade morta por outra pessoa, que acusara, numa carta, tê-la violado.

As minhas séries: Twisted

Outra série de Verão! Twisted estreou na ABC Family a 18 de Junho, mas o episódio piloto já tinha sido lançado em Março (quando vi e decidi seguir a série).

Captura de ecrã 2013-08-12, às 23.50.53

Twisted foca-se no charmoso Danny Desai (Avan Jogia), um adolescente de 16 anos que matou a sua tia quando tinha 11 anos, enquanto as suas duas melhores amigas, Jo Masterson (Madelaine Hasson) e Lacey Porter (Kylie Bunbury) brincavam no seu jardim. Após de cinco anos na prisão, ele é libertado e regressa à sua terra natal, Green Grove, Nova Iorque. Enquanto tenta recuperar as suas amizades e tenta lidar com o fato de ser julgado por todos os seus colegas, Danny torna-se o principal suspeito no assassinato de uma colega. Apercebendo-se que a cidade não se importa com a verdade e apenas o quer ver atrás das grades, Danny decide limpar o seu nome. Entretanto, ele deve manter um segredo que nunca partilhou com ninguém: a razão pela qual matou a sua tia.

É mesmo uma série à ABC Family, cheia de mistério e suspanse! Acho muito mais realista que outras séries do género, como “Pequenas Mentirosas” (“Pretty Little Liars”) e “The Lying Game”, ambas do mesmo canal. Vale muito a pena ver!

Look Inspiração: Lauren Conrad

A personalidade escolhida desta  vez para o Look Inspiração é sweetheart americana, Lauren Conrad, ou simplesmente LC.

Conhecida pelos reality shows da MTV onde participou (“Laguna Beach” e “The Hills”), Lauren está agora a cimentar a sua posição como estilista e It Girl na terra do Tio Sam, com a ajuda da sua linha de moda e também o seu blog de beleza, The Beauty Department.


Durante o dia, LC opa por looks mais confortáveis, mas à altura para qualquer compromisso que apareça à última hora. Nunca deixa em casa os óculos nem as carteiras de marca.

Para eventos, Lauren escolhe sempre modelitos saídos das passereles internacionais, com o cabelo bastante simples, solto com um ornamento, preso simples ou entrançado. Para sair à noite com os amigos, temos sempre o modelo de calção de cetim com uma blusa mais larga de tom neutro e uma clutch preta.

Um dos aspectos por que Lauren é mais invejada é os seus cabelos! Ela é basicamente conhecida como a rainha das tranças, usando os entrançados com muita frequência e de maneiras diferentes. Nos últimos tempos ela tem feito novas experiências, determinadamente com o ombré hair – ou madeixas californianas -, que já usou em loiro platinado, rosa choque, vários tons de rosas, roxos e azuis, e também o tom pêssego na última fotografia!

Sessão de Cinema: Ruby Sparks

Como primeiro filme na minha rúbrica Sessão de Cinema, irei falar sobre o filme que vi este fim-de-semana:

Ruby Sparks – Uma Mulher de Sonho!

Jovem escritor Calvin Weir-Fields (Paul Dano), em tempos o querido da literatura, está com problemas em compor o seu próximo romance. Seguindo o conselho do seu terapeuta, Calvin pega na sua antiga máquina de escrever e cria uma vivaz mulher de cabelo vermelho que chama de Ruby Sparks (Zoe Kazan). De um dia para o outro, Ruby sai das páginas para a casa de Calvin como uma mulher de carne e osso. E mais, ela não sabe que é uma personagem ficcional e que as suas acções e sentimentos são ditados pelo que Calvin escreve.

Stephen Holden do New York Times descreveu-o como “‘Ruby Sparks’ não tenta ser mais do que é: uma comédia romântica suave, maravilhosamente escrita e actuada que desliza até à terra com uma aterragem gentilmente satisfatória.”

O Crítico online Chris Pandolfi do At A Theater Near You chamou-o “um comentário inteligente ao processo criativo, insegurança, comportamento controlador, idealismo, e a fragilidade do ego masculino. É uma combinação ingénua num dos filmes que mais gostei de ver este ano – fantasia, estudo de personagem, e um conto cautelar juntos num só.”

O filme foi escrito por Zoe Kazan, que interpreta Ruby Sparks na versão cinematográfica. Kazan inspirou-se num manequim que viu numa lixeira, e no mito de Pigmaleão, e escreveu rapidamente vinte páginas, mas não trabalhou mais no guião durante seis meses. Ela voltou a escrever quando teve a certeza que o conceito central do filme seria comparar a ideia de amor à actualidade do sentimento. Kazan escreveu a personagem principal Calvin a pensar no seu namorado, Paul Dano, que viria a protagonizar o filme. No aspecto feminista da história, Kazan explicou que queria explorar a ideia de “ser vista mas nunca observada”, onde a mulher não é bem compreendida mas de uma forma que não fosse rude ou alienante para os homens. Kazan rejeitou a descrição de Ruby Aparks como uma Rapariga de Sonho/Fada Maníaca, pois considera que o filme fala sobre o perigo da idealização de uma pessoa, sobre reduzir uma pessoa à ideia de uma pessoa.

Desapego.

Chega de chorar, de lamentar, dizer que é só azar
Sem enxergar o que está em frente do nariz
Se eu faço minha vida dar certo ou se arrebentar
Se me previno de incertezas ou se vivo por um triz

Eu vou seguir os passos que me fizer feliz
Expurgar da minha vida toda insatisfação
Aceitar o que é meu por direito e obrigação
Levar a vida do jeito que eu sempre quis

Procurando a cada instante de paz
Minha vida seguirá em frente com todo fervor
Porque já sei o que me é de direito meu amor
E se você quiser ficar ou ir embora tanto faz

Se alguém, por algum motivo, quiser me impedir
Dane-se! Sigo em frente, minha meta é ser feliz

Romário Nogueira – Soneto do Desapego